sábado, 19 de maio de 2012

A civilização andina pré-colombiana (1)

Baseado em "O mundo andino - população, meio ambiente e economia" de John V. Murra, com trechos da obra e traduções minhas do original em Espanhol. 

O controle vertical de um máximo de pisos ecológicos



"La percepción y el conocimiento que el hombre andino adquirió de sus múltiples ambientes naturales a través de milênios le permitió combinar tan increíble variedad en un solo macrosistema económico".                             
- A percepção e o conhecimento que o homem andino adquiriu de seus múltiplos ambientes naturais através de milênios permitiu-lhe combinar tão incrível variedade em um só macrossistema econômico.



Controle Vertical

A sociedade andina pré-colombiana vivia em sistemas de arquipélagos verticais e faziam um controle vertical de um máximo de pisos ecológicos, mas o que é e como faziam isso? O modelo de controle vertical e arquipélagos eram um ideal andino praticado por diversas etnias distintas tanto geografica, econômica como politicamente, grande ou pequenas (Lupaqa, Yacha, entre outras). Se as etnias eram distintas, nos modelos haviam também contrastes e peculiaridades, além de mudanças políticas,econômicas e sociais. 



Como sabemos a cordilheira dos Andes que cobre parte dos territórios de países da América do Sul como o Equador, Peru e Chile possui um relevo montanhoso, portanto, era necessário que as etnias, o homem andino se adaptassem ao seu meio, e o fez, por meio dessa técnica de controle dos pisos ecológicos. Adaptaram e desenvolveram então um meio geográfico que favorecia as condições para a agricultura, construíram inúmeros terraços para cultivo nas ladeiras das montanhas andinas, o que parece escadas gigantes, como nas imagens.  
"Praticado nos Andes há mais de 2.000 anos, essas técnicas de cultivo estão sendo revitalizadas em muitas áreas montanhosas da Bolívia para ajudar os agricultores a ganhar a vida e alimentar suas famílias. Essas técnicas permitem que as culturas cresçam apesar das encostas íngremes, solos pobres e clima frio e seco do alto dos Andes".

Essas terraplanagens, terraços, eram rodeadas com pedras. Quanto maior a população, maiores seriam os controles. Essa adaptação explica a diversidade de produtos agrícolas nessas restritas regiões. É importante ressaltar que esses modelos foram também pré-incaicos.


Os limites e as limitações do "arquipélago vertical" nos Andes
"Entretanto, mi inclinación es considerar los archipiélagos como un método antiguo, elaborado por sucesivas poblaciones andinas para mejor percepción y utilización de los recursos en su extraordinario conjunto de ambientes geográficos". 

Agora, de acordo com a obra de John Murra, analisaremos como funcionavam os arquipélagos verticais, suas características essenciais foram:
  1. As etnias controlavam o máximo dos pisos e nichos ecológicos para a produção de recursos. De acordo com a proporção da população.
  2. A maioria da população ficava no altiplano mas havia colonias permanentes na periferia para controlar recursos distantes, mas havia contato social e tráfego continuo entre elas, o que permitia o acesso simultâneo a  uma mesma população a recursos distantes entre si, formavam um "arquipélago", um padrão de assentamento tipicamente andino. 
  3. Essas relações entre núcleo e "ilha periférica" se chamam reciprocidade e redistribuição.
  4. Padrão multiétnico de acesso à produção.
  5. Quanto maior a população maiores eram as distâncias entre o núcleo e as "ilhas periféricas"
"Hubo condiciones en los Andes que favorecieron la formación de archipiélagos verticales y otras que la inhibieron"  - Houve condições que favoreceram a formação de arquipélagos verticais nos Andes e outras que a inibiram.

Dentre elas, as limitações geográficas se destacaram. O Império Inca (Tawantinsuyu) dominou os outros povos e reinos dos Andes e o arquipélago ficou baixo ao domínio incaico que passou a usá-lo para seus próprios propósitos. 

Milho, tubérculos e ritos agrícolas

Diferenças botânicas e ecológicas das classes de cultivo:
Tubérculos de altura: (Mashua, oca, papa, maca, olluco. Os tubérculos eram fundamentais e comuns na dieta andina) Domesticados localmente e resistentes a geadas.

"Entre los tubérculos andinos el más importante fue  la papa"
Milho: Cultivado em toda América, precisa de clima temperado e úmido. 

"Maiz, planta esencialmente de clima templado, que pega bien en las zonas bajas y protegidas de la sierra y que, a pesar de las dificultades para lograrla, es muy apreciada a lo largo de los Andes" (Página 151, Maiz, tubérculos y ritos agricolas. John Murra). 

O milho se encontra tanto na serra como na costa, além disso tem necessidade de clima temperado e úmido. No entanto, o milho na serra é uma planta vulnerável. É desejado por tanto, no tempo dos Incas e na Atualidade, que onde se planta milho haja também sistema de irrigação.

Maíz Andino
Ritos Agrícolas com o milho: "En las aldeas, el maíz, aún cuando no fuera cultivado localmente, era parte integrante de los ritos del ciclo vital. En la cerimonia de iniciación de un joven campesino, cuando se le cortaba el pelo y se le cambiaba de nombre, entre los obsequios de sus parientes figuraban maíz, llamas y ropa. En el matrimonio, las familias intercambiaban "semillas" junto con ropas y husos. Cuando una persona moría, se esparcía harina de maíz alrededor del cadáver" (Página 149, Maíz, tubérculos y ritos agrícolas. John Murra). 

- Nas aldeias, o milho, ainda quando não era cultivado localmente, era parte integrante dos ritos do ciclo vital. Na cerimônia de iniciação de um jovem camponês, quando cortavam o cabelo e mudavam seu nome, entre os favores (presentes) de seus parentes estavam o milho, llamas e roupas. No matrimônio, as famílias trocavam entre si "sementes" junto com roupas e fusos. Quando uma pessoa morria espalhavam farinha de milho ao redor do cadáver. (tradução minha)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário